Filial Seixal do
Racionalismo Cristão



 

Biografia de José Augusto Neves Cardoso Pires
Presidente Astral da Filial Seixal

José Augusto Neves Cardoso Pires, filho de José António Neves e Maria Sofia Cardoso Pires Neves, nasceu em 2 de Outubro de 1925, na Aldeia de São José do Peso - Covilhã - Distrito de Castelo Branco - Portugal. Desencarnou em 26 de Outubro de 1998.

Em 1945, alista-se na Marinha Mercante como praticante de piloto sem curso. Viaja então por toda a Costa da África.

Em 1948, torna-se agente de vendas, correspondente de inglês e intérprete de uma companhia de aviação.

Em 1949, passa a ser redactor e depois chefe de redacção da revista feminina "Eva".

De 1969 a 1971, lecciona Literatura Portuguesa e Brasileira no King's College da Universidade de Londres e colaborações eventuais na BBC. No entretanto sua actividade profissional centra-se em torno da literatura e do jornalismo cultural, tendo sido director literário de várias editoras, director da revista "Almanaque", director-adjunto do jornal "Diário de Lisboa" (1974), redactor da "Gazeta Musical e de Todas as Artes" e crítico literário da revista "Afinidades".

A partir de 1974 dedica-se exclusivamente à escrita literária, reservando as colaborações jornalísticas a algumas séries de crónicas, posteriormente reunidas em livro (A cavalo no Diabo), e a projectos especiais, como a reportagem sobre o Vietname - "Apocalipse 2" - publicada nas revistas "Triunfo", de Madrid, e "Hoy", do México.

Não conheceu a Doutrina

Segundo seus amigos, era um homem de forte personalidade, modesto, sem vontade de se evidenciar, trajava simplesmente e nem sequer gostava de usar trajes a rigor.

Era conhecido como uma pessoa extremamente culta, mas frequentador de ambientes simples, de grupos de amigos, onde apenas imperassem o calor humano e a forma verdadeira de sentir e passar a palavra.

Trabalhos publicados:

Os Caminheiros e Outros Contos (1949) - contos
Histórias de Amor (1952) - contos
O Anjo Ancorado (1958) - romance
O Render dos Heróis (1960) - teatro
Cartilha do Marialva (1960) - ensaio
Jogos de Azar (1963) - contos
O Hóspede de Job (1963) - romance
O Delfim (1968) - romance
Dinossauro Excelentíssimo (1972) - fábula
E Agora, José? (1977) - ensaios
O Burro em Pé (1979) - contos
O Corpo de Delito na Sala de Espelhos (1980) - teatro
Balada da Praia dos Cães (1982) - romance
Alexandre Alpha (1987) - romance
A República dos Corvos (1988) - contos
A Cavalo no Diabo (1994) - crónicas
De profundis - Valsa lenta (1997) - memória (Descreve a experiência vivida durante o período em que esteve em coma. O leitor fica assim, pelo testemunho passado, com uma clara visão da "Vida fora da Matéria", uma vez que numa situação de "quase-morte" física, o espírito se manteve lúcido.)
Lisboa - Livro de Bordo (1997) - crónica

Outras informações relevantes:

Autor vário, do romance à sátira política, passando pelo teatro e pela crónica, é considerado um dos maiores e melhores prosadores e contadores de histórias da literatura portuguesa contemporânea, tendo obras traduzidas numa quinzena de línguas.

Crítico de estilo muito pessoal, caracterizado por grande depuração, tanto ao nível narrativo, como sintáctico e vocabular, uma prosa viva e objectiva que foi tendo na actividade jornalística, desenvolvida ao longo dos anos, a sua oficina permanente, acusando, no entanto, influências várias, desde o neo-realismo ao surrealismo.

Os marcos mais importantes do seu percurso como jornalista são suas passagens pela revista "Almanaque", pelo "Jornal do Fundão" (Covilhã), pelo "Diário de Lisboa" e pelo "Público".

É também apontado à sua escrita um cariz cinematográfico, de certa forma corroborado pelas várias adaptações de contos seus para o cinema.

A mais recente adaptação foi o filme "Balada da Praia dos Cães", realizado por José Fonseca e Costa, sobre o romance homónimo de 1982 que valeu a Cardoso Pires o Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores.

Como dramaturgo, as suas peças "O Render dos Heróis" e "O Corpo de Delito na Sala de Espelhos" revelaram-se marcos importantes da dramaturgia portuguesa da segunda metade do século XX.

"O Corpo de Delito na Sala de Espelhos" é uma análise do "sub mundo da polícia política e [do] tecido psicológico da sua identificação como corpo de terror".

Prémios:

Prémio Camilo Castelo Branco, 1964 ("O Hóspede de Job")
Grande Prémio de Romance e Novela, da Associação Portuguesa de Escritores, 1983 ("Balada da Praia dos Cães")
Prémio Especial da Associação dos Críticos do Brasil, São Paulo, 1987 ("Alexandre Alpha")
Prémio Internacional União Latina, Roma, 1991
Astrolábio de Ouro do Prémio Internacional Último Novecento, Pisa, 1992
Prémio Pessoa, do semanário Expresso, 1997
Prémio D. Diniz, da Casa de Mateus, 1997 ("De Profundis, Valsa Lenta")
Criação Literária, do Centro Português da Associação Internacional de Críticos Literários, 1997, ("De Profundis Valsa Lenta")
Prémio Vida Literária, da Associação Portuguesa de Escritores, 1998

Condecorações:

Ordem da Liberdade. Condecorado pelo Presidente da República, António Ramalho Eanes, 1985.
Grã-Cruz de Mérito Cultural. Condecorado pelo Presidente da República, Mário Soares, em 10 de Junho de 1988.

Homenagens:

Patrono da Escola Secundária José Cardoso Pires (Santo António dos Cavaleiros, Loures).

De "Biografia de José Augusto Neves Cardoso Pires" para a primeira página

Copyright©2005 racionalismo-cristao.org.br. All Rights Reserved